quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Reféns da comida!


Foto: curiofisica.com.br


Maldição, por que comer é tão bom?

Como eu gostaria de ser uma dessas pessoas que se alimenta apenas para não morrer... Que enxerga a comida como comida! Entende?

Não raro, sinto-me dominado por este ser calórico que é a comida. Uma verdadeira tragédia!

Antigamente, comida era algo bom para a saúde. Você se alimentava de qualquer coisa e vivia bem.

Nossos antepassados, por exemplo, comiam bastante gordura animal, carboidrato, etc. Tudo, é claro, acompanhado de um bom cálice de vinho.

Hoje, não! A comida fabricada atualmente é a grande vilã do nosso tempo! A maldade disfarçada em belos pacotes coloridos e apetitosos.

Por que, afinal, inventaram essa substância malévola chamada gordura transgênica (trans para os íntimos)? 

Hoje em dia, para alimentar-se de forma saudável, precisamos ler todos os pacotes que compramos no supermercado. Uma maratona que cansa o consumidor médio.

Poucos sabem, mas essa bendita gordura - fabricada em laboratório - não é corretamente processada pelo corpo humano, diferentemente da animal e da vegetal. Logo, nosso corpo sempre perderá a batalha.

Não sei se vocês já repararam, mas é cada vez mais comum vermos pessoas com sobrepeso. Culpa, é claro, dessa gama de substâncias e hormônios lançados na comida vendida no mercado mais próximo.

A questão é tão grave, mas tão grave, que para você comer uma fruta ou legume saudável (leia-se sem agrotóxico), precisa pagar mais por isso. Só eu acho isso um absurdo?

O fato é que somos verdadeiros reféns da indústria de alimentos! Enquanto os donos dessas empresas enriquecem com suas comidas cada vez mais apetitosas/venenosas, sentimos no corpo os efeitos indesejados de uma péssima alimentação.

Tenho a impressão, inclusive, que aquela dose de exercícios físicos já não é suficiente para queimar as calorias adquiridas no decorrer do dia. É aquela velha história, estamos sempre correndo atrás do prejuízo, ainda que este seja fabricado em laboratório.

Cumpre-me perguntar: podemos nos alimentar de forma saudável em meio a tantas tentações? 

Sim, podemos. Mas será que conseguimos?

Enquanto você pensa na resposta, vou até a cozinha comer um Ruffles de churrasco. 

Como eu disse, essa gordura trans é mesmo uma desgraça. Uma desgraça de tão irresistível...

2 comentários:

Igan Hoffman (fazendo o impossível) disse...

É muito difícil ter uma dieta puramente saudável... não nego um churrasco, por nada!!!
Mesmo assim, é importante que pelo menos durante a semana nos cuidemos mais... eu tomei certas atitudes que me ajudaram a perder uns quilinhos... Não tomo mais café da tarde quando estou trabalhando, passo pelo menos assim oito horas sem colocar comida na boca, o que dá tempo para meu corpo queimar algumas gordurinhas por falta de outro tipo de energia circulante, sei que é contra a idéia dos nutricionistas, mas deu certo. Outra coisa que fiz foi parar de beber cerveja, a gordura da cerveja faz tropismo e prefere se localizar no abdome... também já tomei algumas bolas para queimadores de gordura, adiataram um pouco, mas parece que você toma aquela porção do ursinho gummy (não sei se é assim que se escreve) e sai quicando...kkk

Abraços
acessem http://iganhoffman.blogspot.com
sobre música macabra...

Thais disse...

Olá Kelvim,

Na minha opinião, sempre nos alimentamos da mesma forma, com vontade e sem pensar nas malditas calorias, o que no entanto aumentou significativamente o aumento de peso, o metabolismo lento, a perda gradativa de peso, foi com certeza os hábitos saudáveis, antigamente, caçávamos para comer, pescavámos especiarias no mar, andávamos quilômetros para buscar um pouco de água, resumindo tudo, não éramos preguiçosos, infelizmente a tecnologia nos trouxe as calorias, não precisamos andar mais, temos automóvel, água encanada, facilidades eletrônicas...
Antigamente o homem comia tudo o que conseguia adquirir e com abundância, afinal era preciso repor as atividades perdidas, e o que fazer em um universo novo, onde comemos a mesma quantidade e não nos esforçamos em se movimentar?
Claro, sempre vale a pena trocar um Big Mac por uma fruta e uma refeição saudável, mas como resistir aos consumismo exagerado que é imposto pelas mídias?
Bem...não tenho a resposta rsrs

Ótimo post!