segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Qual a sua religião?


Foto: mananciaisdeamor.zip.net

Segundo o dicionário, a palavra "religião é adotada para designar qualquer conjunto de crenças e valores que compõem a fé de determinada pessoa ou conjunto de pessoas". Cada religião, ainda segundo o vernáculo, "inspira certas normas e motiva certas práticas".

Qual a sua religião?

A minha religião é Deus. Acredito em Deus (ou o que quer que ele seja) e ponto final. 

Embora seja católico-apostólico-romano desde pequeno (por imposição dos meus pais, é claro), acho errado escolhermos uma religião e segui-la ao pé da letra. 

A propósito, nossos pais não deveriam agir da forma como vêm agindo. Que direito eles têm de escolher nossa religião ainda quando somos crianças? Por que me batizar na religião A, se eu podia ser batizado na religião B, ou na C, etc.

Antes, havia a desculpa do limbo. Para quem não sabe, Deus mandava as criancinhas que não eram batizadas diretamente para o limbo... Mas agora que o Papa o extinguiu mediante decreto (como pode isso?), qual a desculpa?

Essa necessidade do ser humano de pertencer a um grupo é irritante. Uma verdadeira loucura coletiva.

Tudo bem que gostemos da coletividade comumente vista no esporte, no grupo de amigos, etc, mas escolhermos uma religião porque fulano ou ciclano a elegeram já acho demais.

Na condição de seres pensantes, deveríamos escolher quais dogmas seguir desde a infância. Concorda? 

Muitos justificam a imposição das normas da Igreja como forma de educar as crianças. Desde quando obrigar uma criança a frequentar a missa é a forma ideal de educá-la? Ademais, bons ensinamentos repassados dentro do seio familiar me parecem o suficiente para a construção do futuro. 

E as guerras? Como pode alguém lutar uma "guerra santa"? Aliás, quem inventou esta expressão não tinha o mínimo de bom senso. Desde quando uma guerra pode ser santa? Desde quando?

Somente o ser humano mesmo para criar uma crença e lutar contra os seus pares sob o pretexto de que seu Deus é melhor ou mais correto. Como se existisse uma unanimidade mundial nesse sentido...

Sim, eu acredito em Deus! Mas jamais me permitiria acreditar em toda essa insanidade que se cria em torno Dele.

E você, acredita no quê?

4 comentários:

Igan Hoffman (fazendo o impossível) disse...

Influenciados pelo establishment cartesiano,
universitário e midiático é natural convertermos
a existência em um esfera material autônoma. A percepção
mutilada do "eu"individual corresponde uma religião mutilada,
regida por leis próprias que a ciência enuncia. Todas as
tradições espirituais do mundo, todas as disciplinas sapienciais
começam pela constatação óbvia de que o eu não é o corpo,
não "está" no corpo mas de certo modo o abrange, como supra-espacial
transcende e abrange o espacial. Nossa mente acabou por se
conformar com um estado de existência diminuída, em que a
alma supracorporal, condição fundamental do acesso a Deus,
só passará a existir no outro mundo, por alguma transmutação
mágica da psique corporal, em vez de constituir já nesta vida
a nossa realidade pessoal mais concreta, mais substantiva e mais
verdadeira, presente e atuante nos nossos atos mais mínimos
como nas nossas vivências mais elevadas e sublimes.
(redigi este texto a partir do artido do Professor Olavo de Carvalho, em
http://www.olavodecarvalho.org/semana/100512dc.html)
Recomendo que pesquisem também os milagres do Santo Padre Pio de Pietrelcina.
E também visitem: http://iganhoffman.blogspot.com
sem mais...

David Kalid disse...

Perfeito grande Kelvim!
Não tiraria nem uma palavra se quer deste texto. Muito bem elaborado. Concordo em todos os aspectos. Perfeito! Perfeito!

Seria o tema do próximo livro? haha

Parabéns cara, abração.

@davidkalid

Fa disse...

"Deus está morto"

Breisi Bez Batti disse...

Primeiramente, Igan fiquei pasma com seu comentário. Faz total sentido. Até li e reli, para não esquecer.

Kelvim, suas opiniões postadas aqui são pertinentes e devem ser levadas em conta, sempre.

Para pensar:

"Éram Deuses os Astronautas?"

Como dizia Freud: " A religião é uma neurose universal."

"Acreditar que não acreditamos em nada é crer na crença do descrer." Millôr Fernandes

Creio no poder da fé depositada(canalisada). E isso me basta.

Aproveitando o espaço:

http://www.devaneiocolorido.blogspot.com/

Clássicos literários apresentados de maneira culta.