domingo, 23 de janeiro de 2011

Vampiros da era moderna...



Chegou, enfim, a minha hora de emitr opinião sobre essa febre mundial chamada "vampiros". Estava relutante em escrever a respeito, mas não posso mais me manter inerte (isso vai ser engraçado).

Antes de começar o texto, deixe-me pegar meu colar de alho... Pronto, vamos ao que interessa:

Confesso que não li os livros de Stephenie Meyer - autor(a) que escreveu com "propriedade" sobre o assunto - mas penso que devam ser realmente bons. Afinal, o triângulo amoroso criado em seus livros repercutiram mundialmente.

Quando era criança/adolescente, sempre tive em mente que vampiros eram seres maus. Chupadores de sangue, por assim dizer.

Então, o que mudou?

Os fãs de Edward e companhia que me perdoem, mas se já é difícil acreditar que existam esses seres lendários (não existem, certo?), quiçá acreditar que existam vampiros éticos, a ponto de sequer matarem pessoas.

Vampiros que fazem regime de sangue humano soam quase como um insulto...

Minhas críticas não param por aí... Outra coisa que me chamou a atenção foi o fato que os "novos vampiros" (parafraseando a expressão os "novos baianos"), criados por Meyer, brilham sob o sol.

Como pode um vampiro brilhar nessas circunstâncias? Vampiro que é vampiro derrete sob o sol... Desafio a atirar a primeira estaca quem achar que estou errado!

Na minha época, ver um desses chupadores de sangue correr do sol como uma pessoa sem protetor solar era deveras engraçado. Não raro, era a cena de sua morte.

Não bastasse isso, sempre era gravada aquela clássica cena em que o vampiro comparecia a uma festa rodeada de espelhos... Tal cena, invariavelmente, prendia a atenção dos telespectadores.

Tudo bem que na arte vale tudo, porém alterar uma lenda tão difundida não me parece razoável.

Exemplificando, teria cabimento alguém escrever um livro e dizer que a única forma de matar um lobisomen seria atirar-lhe balas "soft", ao invés de balas de prata?

Entenderam aonde quero chegar? Por mais que o lobisomen pudesse se afogar com as balas (assim como toda criança se afogou um dia), as de prata seriam as únicas letais o bastante para matá-lo.

O fato é que lendas são lendas porque são fiéis ao tempo.

Certas coisas não podem ser alteradas...

Ps.

Proponho a criação de um código de ética quando da criação de filmes, livros e peças sobre o assunto "vampiros", devendo ser respeitadas as 3 verdades universais abaixo elencadas:

1) Vampiros não podem fazer dieta, sobretudo de sangue humano;
2) Vampiros derretem sob o sol (ainda não me conformo com aquela cena);
3) Vampiros não refletem sua imagem no espelho.

Se alguém comprar a ideia e quiser fazer um projeto de lei na modalidade iniciativa popular, coloco-me à disposição para redigir o documento...

Será, sem dúvida, um favor para a comunidade dos vampiros! 

Revoguem-se todas as disposições em contrário.


6 comentários:

Ellen Cristina disse...

Olha... *ellen se escondendo* eu gosto de vampiros... e dos da Meyer também... não que eu não achei estranho esse negocio deles brilharem no Sol (porque é super estranho)mas eu gostei. E não me envergonho de dizer que voltei a ser bookaholic por causa de Crepúsculo, gosto de vampiros (mentira, amo vampiros) e leio dos os livros com eles,até os "novos vampiros".
Mas cada um tem seu gosto =)e não é porque eu gosto, que todos tem que gostar também.
Beijos

Alyson Antunes disse...

@kelvin_inacio, também acho. Vampiro que é vampiro tem de concordar com a proposta criada por ti. Afinal, se cada um que falar sobre vampiros mudar algum detalhe das "3 verdades universais", a lenda se perderia.

E continuo imaginando um lobisomen se afogando com bala soft. hehe.

Abraços

Igan Hoffman (fazendo o impossível) disse...

Se tem algo que nunca me espantou, foram os vampiros. Admiro, como naquela música do Raul Seixas, todo o esquema por trás dos vampiror, a pompa. Não existe vampiro pobre, vampiro pobre é milico no exército chupando sangue de galinha...
Abraços...
http://diariodeigan-h.blogspot.com
http://aportaestreita123.blogspot.com

Marco disse...

pois é... pra mim, vamipiro é o de Bram Stocker, de Brad Pitt, em Entrevista com o Vampiro... enfim, concordo que vampiro que se preze deve chupar sangue do pescoço, do contrário, seria ir de encontro à sua própria natureza...

confesso: assisti aos filmes do crepúsculo, mais para ver a gatinha protagonista que outra coisa, mas ainda assim ficava torcendo para eles serem vampiros à la Drácula...

Fa disse...

Melhor Vampiro é aquele do Episódio do Chapolin, meio careca, meio Drácula hehehe, irado!

P. Wraider disse...

Eu não curto vampiros, mas apoio o nosso amigo Kelvim.

Vampiro que se preze, causa medo, morre sob o sol, detesta água benta, alho, etc. e se alimenta de sangue. Por que inventar moda e acabar "infantilizando"?