quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Tenho medo de...




Tenho medo de escrever errado
Medo de sucumbir à rotina
De não viver a vida com intensidade...

Tenho medo de não alcançar meus sonhos
Medo de falar em público
De perder os entes queridos

Tenho medo de envelhecer rápido
Medo de não envelhecer
De quebrar os dentes

Tenho medo de ser sempre o mesmo
Medo de mudar para pior
De monstros imaginários da infância

Tenho medo de ser assaltado novamente
Medo de prejudicar alguém
De comer demais

Tenho medo de não conseguir sustentar minha família
Medo de perder meu amor
De não ascender ao paraíso

Tenho medo disso
Medo daquilo
Enfim, medo de ter medo...

Tenho medo de muitas outras coisas. Coisas que não lembro ou que sequer merecem ser aventadas.

Já de outras, não tenho tanto medo assim.

Sentir medo é bom. É o calafrio na espinha que nos faz lembrar que estamos vivos. Que somos mortais, como bem disse Paulo Coelho em Diário de um Mago.

O medo tem um papel importante. Tem sua função social. Em suma, é fundamental.

Ouso dizer que seria impossível viver sem ele. Sem os efeitos colaterais que tanto nos apavoram.

Medo dos efeitos do medo?

Sim... Somos temerários por natureza! Verdadeiros medrosos sem causa...

É como reza aquele velho provérbio chinês: “Quem tem cu, tem medo.”


3 comentários:

Igan Hoffman (fazendo o impossível) disse...

Tenho medo de me matar!
Tenho medo de enchentes!
Tenho medo de doenças!

"Conserve seu medo/mantenha ele aceso/Se você não teme/Se você não ama/Vai acabar cedo" (Raul Seixas)

Ramombob disse...

Gostei bastante do texto! Coitada das pessoas que não tem cuh, pois o medo é fundamental em nossas vidas, hehe.

Li e fiquei com uma musica na cabeça:
"E o teu medo de ter medo de ter medo
Não faz da minha força confusão.
". Me deu vontade de escutar legião.

Um abraço, Kelvin.

Anônimo disse...

Só não pode deixar o medo te paralisar, já dizia Humberto ...
Ótimo texto Kelvin, como sempre!

Beijos Jaque