segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

As nuances do amor


Sempre que leio reportagens sobre o amor e os efeitos que ele causa no cérebro, fico ainda mais intrigado sobre este sentimento tão peculiar.

Nunca li algo realmente convincente a respeito.

O amor, segundo alguns especialistas, nada mais é do que uma reação provocada pelo cérebro. Mas você acredita mesmo nisso?

Prefiro a definição de Camões, que no auge de seus devaneios teve a perspicácia de dizer que "o amor é o fogo que arde sem se ver..."

Tal frase soa um tanto clichê, eu sei. Mas, ao meu ver, não há melhor definição. O amor é sim o fogo que arde sem se ver e ponto final!

Ocorreu-me falar sobre o amor porque, hoje (20/12/2010), estou completando 2 anos de casado!

À exceção de grande parte dos homens, não tenho vergonha de afirmar que amo por demais minha esposa! Digo mais: Continuo completamente apaixonado!

E se você acha que digo isso porque estou casado há apenas 2 anos, tenho orgulho de dizer que namorei por incríveis 10 anos antes disso!

Será mesmo que uma reação da massa cinzenta de meu cérebro é capaz de explicar tal fato?

Os especialistas que me perdoem, mas o amor ainda arde em mim como o fogo invisível! E acredito, do fundo do meu coração, que continuará assim por muitos e muitos anos!

Te amo, minha linda! Parabéns pelos nossos maravilhosos anos juntos!

Com amor, seu Kelvim!   

3 comentários:

prizitas disse...

Obrigada pelas palavras, meu amor...
Compartilho das mesmas idéias que as tuas, pra quem acredita que são só dois anos de casados, é pque não sabe da nossa linda história de amor. Estamos há doze anos juntos e nosso amor só aumenta com o tempo, não se ofusca, ao contrário, só aumenta o brilho e a vontade de estarmos sempre perto um do outro.
Te amo muito meu amado.
Parabéns pra nós..

Ângelo Rodrigues disse...

Isso que me disse para fazer uma declaração...
ótimo texto... como sempre...

Parabéns para vocês... Sempre em frente... Abraços Paz

Lu disse...

Parabéns ao casal de pombinhos!
No verdadeiro amor não manda ninguém; ambos obedecem.
Sejam felizes, sempre!
Bjão, meus filhotes queridos. Sou muito feliz pela nora que tenho!