sábado, 8 de outubro de 2011

Analfabetos funcionais


Foto: mensagens.culturamix.com

É triste chegar a esta conclusão, mas a verdade é que somos um país repleto de analfabetos funcionais.

Segundo o Wikipedia, "Analfabeto funcional é a denominação dada à pessoa que, mesmo com a capacidade de decodificar minimamente as letras, geralmente frases, sentenças, textos curtos e os números, não desenvolve habilidade de interpretação de textos e de fazer operações matemáticas [...]"

Quantas pessoas você conhece que não conseguem sequer interpretar um texto simples? Ou realizar uma simples operação matemática?

Infelizmente, conheço várias. Várias, eu disse.

Não estou me referindo àqueles que, por um motivo ou outro, não tiveram a oportunidade de estudar, mas àqueles que, mesmo tendo se "dedicado" aos estudos, ainda sim não sabem o básico.

Extrair informações corretas de um texto é o mínimo que se pode esperar de um cidadão que cursou o ensino básico, antigamente denominado 1 grau.

Obviamente, essas mesmas pessoas com dificuldade de interpretação não conseguem escrever um texto sem cometer inúmeros assassinatos à língua portuguesa.

É o chamado efeito cascata. 

Oras, se não sabemos nossa própria língua materna, nunca aprenderemos outras línguas, como ocorre nos países desenvolvidos.

Sim, temos várias coisas das quais nos orgulhar. Mas quando o assunto é educação, tenho vergonha de ser brasileiro.

O que mais me entristece, contudo, é que estamos estagnados no quesito educação. Ou alguém consegue vislumbrar esforços do Governo nesse sentido?

Eu não. Não mesmo.

E você?

Um comentário:

Diego disse...

Querido Kelvim, parabéns pelo blog. Parabéns pelo livro, li os primeiros capítulos e estou louco para comprar o livro completo. Porém, gostaria de um autógrafo.
Buenas, trata-se de um comentário, não de uma carta... tal assunto (alfabetização funcional) foi tema de duas pesquisas que fiz, Iniciação Científica (UFRGS) e Mestrado (USP) verifiquei a existência de analfabetismo funcional em prováveis sujeitos de pesquisa em hospitais, acredite... em Sampa, constatei que dos sujeitos da pesquisa, 46,6% das pessoas não conseguiram responder perguntas sobre causa/ consequência de um texto lido (20 linhas). O mais agravante é que essas pessoas costumam ser sujeitos de pesquisas que envolvem riscos importantes para sua saúde e tomam decisões baseadas em textos muito maiores.
Boa fonte para pesquisa e definições sobre o assunto é o INAF – Instituto Nacional de Analfabetismo Funcional (Instituto Paulo Montenegro).