sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

And a happy new year...

Não se pode negar que o ano novo é uma data emblemática, cativante, inspiradora e digna de vários elogios. Muitas pessoas vêem nela, como se fosse uma janela para outra dimensão, a chance de mudar suas vidas, de ressuscitar o seu "eu interior", de se tornar alguém melhor.
Quem nunca ouviu o ditado: "ano novo, vida nova"?
De fato, defendo piamente a idéia de que devemos todos traçar metas, mirar objetivos, correr atrás de nossos sonhos. Entretanto, não se pode esquecer que o dia primeiro, assim como todos os outros, não passa de um dia comum. Entre as 23h59min do dia 31/12 e as 0h00min do dia 01/01, nada muda. Absolutamente nada!
Ora, exceto pelo feriado nacional, nada muda em nossas vidas pelo simples fato de ter passado mais um ano no calendário feito pelos homens.
Defendo a idéia de que as mudanças tão almejadas na virada do ano, ou as resoluções de ano novo, como diriam alguns, devem ser perseguidas todos os dias. É surpreendentemente incrível o comodismo presente nas pessoas, já que grande parte da população resigna-se com meros desejos...
"Ano que vem vou fazer dieta..." "Ano que vem vou estudar mais..." Ano que vem vou procurar um emprego melhor..." "Ano que vem..." "Ano que vem..."
Alguém me diga: Qual o problema com este ano? Por que temos que esperar o tão sonhado "ano que vem" para começarmos a executar nossos sonhos? O mundo, como todos sabemos, é o aqui e agora. Para que servem os sonhos se não para serem realizados? Chega de meras conjecturas, viver é muito mais do que isso!
Não quero, de maneira alguma, parecer um pessoa pessimista. Muito pelo contrário, adoro o ano novo, bem como gosto das tradições e superstições. Quero, isso sim, incutir a idéia de que todo dia é dia para realizarmos nossas idéias e para tentarmos ser alguém melhor.
O ideal seria que todos os dias 31/12, ao invés de estarmos cheios de desejos postergados, estivéssemos cheios de dúvidas em o que mais desejar, eis que durante o transcurso do ano vigente, nossos maiores sonhos já estivem prazerosamente realizados.
Todos dizem saber viver, mais poucos vivem de verdade. E viver é correr atrás dos sonhos, perseguindo-os incansavelmente, até que esses sonhos se tornem realidade e outros aflorem para a concretização em um futuro próximo.
Carpe diem!
A todos, um abraço e um feliz ano novo!
E "ano que vem", prometo, continuarei escrevendo neste blog, a fim de fomentar ad eternun um de meus grandes sonhos, agora concretizado.

Um comentário:

Marco Vicente Dotto Köhler disse...

Acompanho o relator. heheh...
e como diz Sir. Humberto Gessinger: "o último dia de dezembro é sempre igual ao primeiro de janeiro!!!!!"

abraço...