quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

A arte de silenciar

Silêncio...
"Silêncio, por favor!" Com certeza, a frase mais utilizada em hospitais, bibliotecas e lugares do gênero. Mas não é desse silêncio que estou me referindo, mas sim do silêncio voluntário, o "silêncio arte".
Falar muito é fácil. Falar qualquer besteira, mais fácil ainda, porém, saber a hora de silenciar, como diriam os criadores da genial propaganda da Mastercard, não tem preço. Ainda na avenida dos clichês, já dizia o poeta: "o silêncio vale ouro".
Embora aprendamos muito com a conversa, o mesmo vale para o silêncio. Não estou me referindo, é claro, àquele silêncio solitário, em que silenciar faz parte do contexto. Refiro-me ao "silêncio bélico", utilizado em meio a uma discussão voraz.
Imagine um grupo de pessoas discutindo um tema polêmico, em que de uma lado temos um grupo a favor e, de outro, um grupo totalmente contra. À margem da discussão, contrariando aqueles que muito defendem o poder da palavra e o superestimado "dom da oratória", temos uma pessoa calada, apenas atendo-se aos detalhes da conversa e observando, com uma clareza ímpar, as reações e peculiaridades de cada interlocutor envolvido.
Existe, como não poderia ser diferente, preconceito acerca do assunto, já que as pessoas "silenciosas", por vezes, acabam por ser alvo de comentários desagradáveis. Longe de mim querer uma revolta armada com o intuito de que os silenciosos ascendam ao poder, mas tais pessoas merecem ao menos o respeito dos falastrões de plantão.
Nada mais chato do que uma pessoa que fala, fala e fala sem propósito algum, a fim de esconder seus medos ou desviar a atenção de suas carências relativamente chatas para o restante da população.
Saber silenciar é saber aprender. É não ter medo de ir pelo caminho reverso.
Saber silenciar é uma arte, uma dádiva, o caminho do autoconhecimento.
Por favor, silêncio...

Um comentário:

Marco Vicente Dotto Köhler disse...

tem uma frase dita em um filme que nao lembro qual, que é a seguinte: "não somos íntimos o bastante para compartilhar o silêncio."
nao sei exatamente o motivo, mas ela sempre está presente na minha caixoleta.

quanto aos faladores, que é o meu caso, nao é tão fácil assim falar demais hehhe... pois é quase uma compulsão. e agora descobri que sou mais chato do que imaginava heheh... :D

abração...

ah! gostei o blog... aborda coisas que estão tão presentes que são quase palpáveis, e mesmo assim geralmente passam despercebidas...

bem vindo ao mundo dos blogueiros hehe...
[]s