sábado, 10 de novembro de 2018

Saindo sozinho

Foto: http://www.fubiz.net
Me divorciei faz algum tempo, como deve ser do conhecimento de alguns dos pouquíssimos leitores deste blog.

E, como já desconfiava, não é mais tão fácil achar amigos para sair.


Em resumo: uns estão namorando, uns casados e outros já têm filhos.

Nada anormal, apenas o ciclo da vida se repetindo incessantemente.

Então, não demorei muito a concluir que teria que sair sozinho mesmo (nem sempre, claro).

Da série: foda-se!

Ou: "E por que não?", como diria a banda "Bidê ou Balde".

A primeira vez foi estranha, confesso. Mas, depois, foi que foi. 

Até porque, tudo nessa vida é questão de costume. Quem leu o "Ensaio sobre a cegueira" sabe do que estou falando.

É uma droga sair sozinho? Sim, é uma droga! (risos)

Mas confesso que tem seu charme sair acompanhado de si mesmo, especialmente se há um chope gelado envolvido.

Embriagar-se sozinho te deixa relativamente mais reflexivo. Mais... mais... mais...

Porém, causa uma gama de reações adversas nas pessoas

Na maioria, imagino que uma reação "negativa" e equivocada. Algo do tipo: "coitado, está saindo sozinho...".

Mas tenho certeza que, pelo menos uma pessoa entre cem (mais risos), deve pensar o seguinte: "nossa, esse cara deve ser foda... gostaria de ter essa auto-suficiência...".

Definitivamente, a Sociedade não está preparada para lidar com isso (pessoas que saem sozinhas, caso não tenha sido claro).

No mínimo, é uma experiência diferente. 

Uma "aventura monótona" talvez seja a expressão mais adequada, se é que isso faz algum sentido.

Mas talvez você que está aí do outro lado da tela me pergunte: se é tão legal sair sozinho, por que estou escrevendo este texto enquanto saio sozinho?

[sim, estou escrevendo este texto enquanto estou "saindo" sozinho]

Respondo: porque interagir é da nossa natureza.

Como diria Alexander Supertramp, do filme Into the wild, "A felicidade só é real quando compartilhada".

No caso, nem que seja em uma rede social mesmo.

Era isso. Fim

2 comentários:

Unknown disse...

Oooo mestre, tens um fã, nesse tuas história... Abraço

Anônimo disse...

Concordo com cada palavra. Saí muitas vezes sozinho também e foi muito bom! Abraços ao amigo.
Rodrigo.