terça-feira, 26 de julho de 2011

A vida é curta!

Foto: meuqueridodiariodeobra.blogspot.com

Dia 30, completarei 29 anos.

Algumas pessoas acham que estou velho. Outras, que estou novo. Na verdade, tudo depende do ponto de vista.

Eu mesmo costumo brincar que estou ficando velho e tal, mas à medida que a idade vai avançando, vou gostando cada vez mais de viver.

Tanto é verdade que meus 28 anos - que acabarão às 23h59min da sexta - foram, sem sombra de dúvida, a melhor idade que já tive.

Experiência é algo sensacional. Isso porque tudo é mais fácil com passar do tempo, com exceção dos exercícios físicos, é claro.

Observo alguns amigos mais jovens com suas inseguranças e temores e tenho vontade de dizer-lhes que tudo isso é desnecessário. 

Ocorre que certas coisas precisam ser vivenciadas para serem assimiladas... 

É tão boa essa sensação de dever cumprido... De já ter cursado uma faculdade, de ter conseguido um emprego legal, enfim, de ter alcançado algumas das etapas que costumam nos causar medo.

Obviamente, ainda tenho muitas coisas por conquistar. Muitos horizontes a desbravar.

Mas parece que agora é a hora de viver de verdade, sem a clássica desculpa da falta de tempo ou mesmo por ter outras prioridades...

Em outras palavras, é como se esta fosse a idade da liberdade, e não a adolescência.

Talvez as pessoas discordem, mas este é o exato ponto de vista que tenho sobre minha atual idade.

E o mais interessante nisso tudo é que o avançar da idade não assusta. Pelo contrário, apenas dá mais ânsia de viver, de aproveitar esta coisa tão surreal chamada vida.

É comum vermos pessoas complicando coisas tão simples, inventando problemas, criando desculpas para não viver de verdade...

Não seria mais fácil tentar viver, ao invés de criar esses subterfúgios medíocres? 

Quanto mais experiente, mais preocupado fico em não desperdiçar minha vida com bobagens. Focar naquilo que me faz feliz de verdade.

Todos sabemos disto, mas não custa lembrar que a vida é curta.

Muito curta, para ser mais exato. Muito curta...

2 comentários:

P. Wraider disse...

Também gosto de ficar mais velho, mas não tanto. rsrs

De saber que a cada ano que acumulo, minha liberdade cresce mais. rsrs

Sheyla Gazola disse...

Bom texto Kelvin, mas eu quero saber é do lanchinho sexta no trabalho...hehe