sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Maquiavel tinha mesmo razão

O ser humano não vale nada!

É triste pensar assim (eu sei), mas confesso que tal afirmação não sai da minha cabeça.

Basta você abrir qualquer jornal e lá estarão estampadas diversas barbáries.

Verdadeiras tragédias humanas praticadas por nossos nem tão 'semelhantes' assim.

Desgraças diárias perpetradas pelo seu vizinho, pela sua tia, pelo moço que vende cachorros-quentes na esquina.

Pergunto:

Como o homem consegue ser tão mau?

O que leva um pai a estuprar a própria filha? Ou a estuprar a filha dos outros?

Como alguém consegue jogar um filho recém nascido no lixo?

Tirar a vida de alguém?

Ludibriar pessoas idosas?

Desviar dinheiro destinado à merenda escolar?

Como? Como? Como?????

Parece-me que são poucos os que se salvam neste mundo egoísta e ruim.

Cada dia que passa, chego sempre à mesma conclusão: Maquiavel tinha mesmo razão.

2 comentários:

Ângelo Rodrigues disse...

100% verdade amigo kelvin

nós humanos nascemos com o instinto de ser mal com os outro, tentar ser "melhor", fazer com que os outros sofram, é um instinto natural nosso, mas poucos sabem controla-lo, ou ainda nem usa-lo.

Até mais, Abração

marcos freitas disse...

embora entenda muito bem as suas dúvidas (e aparentes certezas) e embora a afirmação do Ângelo seja congruente com essa sensação...
discordo da afirmação de que os humanos nascem com qualquer "instinto para a maldade" ou algo assim...

recomendo Michael Tsarion como um bom caminho para tentar entender porque as coisas estão como estão

"origins of evil"; "architects of control", (e mais especialmente) "the future of mankind"

são vídeos dele facilmente encontráveis pela infernet.

...independentemente de ele estar certo ou errado, mentindo ou falando a verdade, ele apresenta um excelente caminho para uma boa investigação sobre esses assuntos e, ...pelo menos para mim foi (e é) como um farol indicando um ponto de apoio para uma alavanca mental pessoal rumo a um entendimento da humanidade.

mas claro que Maquiavel, Bakunin, Hegel, Nietzsche, Agostinho, Maxwell, e tantos outros também têm a capacidade de ajudar! hehehe

abraços, suerte
m.